Sobre a SBM

Sob a liderança de Amadeu Cury e Paulo de Góes o ramo do Rio de Janeiro da “Society of American Bacteriologists” (SAB) foi fundado nos idos de 1947, que existiu durante cerca de 20 anos. Esta sociedade foi muito ativa efetuando reuniões muito concorridas.

No início da década de 50, o Prof. Paulo de Góes, então professor catedrático de Microbiologia da Faculdade de Farmácia da Universidade do Brasil, fundou o Instituto de Microbiologia da Universidade do Brasil. O pioneirismo de Paulo de Góes pode ser medido não só pela criação de um Instituto voltado para o ensino e a pesquisa em Microbiologia, mas também pela publicação, em 1951, do volume I dos Anais de Microbiologia, publicação anual do Instituto. Também fundamental foi a força e o prestígio dos muitos pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz.

Em 30 de maio de 1955 durante o 1º Simpósio sobre o Desenvolvimento da Microbiologia no Brasil, organizado pelo ramo do Rio de Janeiro da “SAB”, então sob a presidência do Prof. Milton Thiago de Mello, realizado no Rio de Janeiro, foi formalmente sugerida a necessidade de criação da Sociedade Brasileira de Microbiologia, paralela à SAB, inclusive com a criação de uma revista contendo todos os trabalhos científicos do País, inclusive os de Microbiologia. Assim, em 28 de setembro de 1956 a Sociedade Brasileira de Microbiologia foi fundada.

Em 1959 foi criada a REVISTA BRASILEIRA DE MICROBIOLOGIA, órgão oficial da Sociedade Brasileira de Microbiologia, cujo Volume I, número 1, foi publicado em janeiro-março de 1959, com 64 páginas, 7 artigos completos, 4 notas e amplo noticiário, inclusive o histórico da fundação da Sociedade e os estatutos. O Presidente da Comissão Técnica, Redator Responsável e Editor foi o Prof. Milton Thiago de Mello.

O último número da Revista foi publicado em 1963, correspondente ao volume 4, devido à criação do Centro Internacional de Documentação Microbiológica em Paris, utilizando-se computação eletrônica (IBM). Porém, a seção do Rio de Janeiro da SAB continuava ativa, com eleições anuais da diretoria, bem como reuniões científicas.

Em 1969, após muitas conversas entre microbiologistas de várias partes do país, interessados em reavivar a Sociedade e com o apoio fundamental do Prof. Amadeu Cury, então diretor do Instituto de Microbiologia e de Laerte de Andrade, presidente da seção do Rio de Janeiro da SBM, uma comissão constituída por Italo Suassuna, Ivone Rocco Suassuna, Laerte M. de Andrade e Wilson Chagas de Araújo, convocou um primeiro encontro nacional de associados da SBM, com o patrocínio da CAPES e do CNPQ, sob a denominação de 1ª JORNADA DE MICROBIOLOGIA, sob a presidência de Amadeu Cury, no período de 04 a 05 de novembro de 1969 no Instituto de Microbiologia da UFRJ, ainda no campus da Praia Vermelha, no então Estado da Guanabara.

Desde então, a Sociedade Brasileira de Microbiologia, hoje com sede em São Paulo, tem promovido ativamente a Microbiologia no País, com realização de eventos anuais, edição da Revista Brazilian Journal of Microbiology, oferecimento de cursos de Especialização e Aperfeiçoamento em Microbiologia, entre outras atividades.

Diretoria 2016-2017

Carlos-Pelleschi-thumb

Presidente

Carlos Pelleschi Taborda, USP – SP

Gustavo-Henrique-thumb

Vice-presidente

Gustavo Henrique Goldmann, FCRP – SP

jorge-sampaio

1º Secretário

Jorge Luiz Mello Sampaio, FCF – USP

marcio-lourenco_130

2º Secretário

Marcio Lourenço Rodrigues, FIOCRUZ – RJ

Carla_Taddei-thumb

1º Tesoureira

Carla Taddei de Castro Neves, USP – SP

avatar-square

2º Tesoureiro

Waldir Pereira Elias Junior, IB – USP

Conselho Fiscal

AnaPorto

1º Membro

Ana Lucia Figueiredo Porto, UFRPE

sergio_fracalanzza

2º Membro

Sergio Eduardo Longo Fracalanzza, UFRJ

maria-giannini

3º Membro

Maria José Soares Mendes Giannini, UNESP

Histórico

Sob a liderança de Amadeu Cury e Paulo de Góes, depois de demorada troca de correspondência, nos idos de 1947, fundou o ramo do Rio de Janeiro da “Society of American Bacteriologists”, que existiu durante cerca de 20 anos. Esta sociedade foi muito ativa efetuando reuniões muito concorridas.

Fato marcante para a criação da Sociedade Brasileira de Microbiologia foi a participação e a ação catalítica do Instituto de Microbiologia da Universidade do Brasil, fundado no início da década de 50 pelo Prof. Paulo de Góes, então professor catedrático de Microbiologia da Faculdade de Farmácia da Universidade do Brasil no prédio reformado do refeitório do antigo Hospício Nacional. O pioneirismo de Paulo de Góes pode ser medido não só pela criação de um Instituto voltado para o ensino e a pesquisa em Microbiologia, mas também pela publicação, em 1951, do volume I dos Anais de Microbiologia, publicação anual do Instituto. Também fundamental foi a força e o prestígio dos muitos pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz.

Em 30 de maio de 1955 durante o 1º Simpósio sobre o Desenvolvimento da Microbiologia no Brasil, organizado pelo ramo do Rio de Janeiro da “SAB”, então sob a presidência do Prof. Milton Thiago de Mello, realizado no Rio de Janeiro, foi formalmente sugerida a necessidade de criação da Sociedade Brasileira de Microbiologia, paralela à SAB, inclusive com a criação de uma revista contendo todos os trabalhos científicos do País, inclusive os de Microbiologia. Assim, em 28 de setembro de 1956 a Sociedade Brasileira de Microbiologia foi fundada.

Em 1959 foi criada a REVISTA BRASILEIRA DE MICROBIOLOGIA, órgão oficial da Sociedade Brasileira de Microbiologia, cujo Volume I, número 1, foi publicado em janeiro-março de 1959, com 64 páginas, 7 artigos completos, 4 notas e amplo noticiário, inclusive o histórico da fundação da Sociedade e os estatutos. O Presidente da Comissão Técnica, Redator Responsável e Editor foi o Prof. Milton Thiago de Mello.

Apesar do entusiasmo dos primeiros anos, a impossibilidade de promover encontros nacionais, resultou em uma diminuição progressiva do entusiasmo e aliado a isso, em 1962 foi criado o centro Internacional de Documentação Microbiológica em Paris, utilizando-se computação eletrônica (IBM). Esses dois fatores provocaram, em 1963, a publicação do ultimo número da Revista, correspondente ao volume 4. Porém, a seção do Rio de Janeiro da SAB continuava ativa, com eleições anuais da diretoria, bem como reuniões científicas.

Em 1969, após muitas conversas entre microbiologistas de várias partes do país, interessados em reavivar a Sociedade e com o apoio fundamental do Prof. Amadeu Cury, então diretor do Instituto de Microbiologia e de Laerte de Andrade, presidente da seção do Rio de Janeiro da SBM, uma comissão constituída por Italo Suassuna, Ivone Rocco Suassuna, Laerte M. de Andrade e Wilson Chagas de Araújo, convocou um primeiro encontro nacional de associados da SBM, com o patrocínio da CAPES e do CNPQ, sob a denominação de 1ª JORNADA DE MICROBIOLOGIA, sob a presidência de Amadeu Cury, no período de 04 a 05 de novembro de 1969 no Instituto de Microbiologia da UFRJ, ainda no campus da Praia Vermelha, no então Estado da Guanabara.

Eventos organizados pela Sociedade Brasileira de Microbiologia e diretorias que atuaram na sociedade.