Microbiologia de
Alimentos

A área de Microbiologia de Alimentos engloba estudos relativos aos micro-organismos importantes para garantia da inocuidade dos alimentos, bem como sua vida útil, processamento de produtos tradicionais e desenvolvimento de novos produtos alimentícios, com atributos sensoriais adequados a diferentes públicos consumidores. Destaca-se ainda o desenvolvimento de produtos com alegações funcionais e de promoção da saúde, como os probióticos e prebióticos.

A formação do Microbiologista de Alimentos pode iniciar-se em cursos técnicos de nível médio (por exemplo, Nutrição, Patologia, Química, entre outros) ou mais comumente, na graduação, em cursos da área de alimentos e tecnologia (Engenharia de Alimentos, Ciência dos Alimentos, Biotecnologia, química), de saúde ou biológicas (Farmácia, Biomedicina, Ciências Biológicas, Nutrição, Medicina Veterinária e Zootecnia, entre outros).

Leia Mais

Formação complementar pode ser adquirida em estágios e cursos com diferentes cargas horárias, oferecidos por instituições públicas e privadas, regularmente ou durante eventos científicos nacionais e internacionais. Destaca-se o curso de especialização oferecido pela Sociedade Brasileira de Microbiologia (http://www.sbmicrobiologia.org.br/PDF/alimentos.pdf). Também pode-se cursar a pós-graduação stricto senso, em programas recomendados pela CAPES/MEC em nosso país, ou buscar instituições no exterior.

Os profissionais da área podem atuar no ensino em vários níveis (técnico, graduação e pós-graduação), em laboratórios de saúde pública e particulares, indústrias, órgãos regulatórios governamentais e em institutos de pesquisa e prestação de serviços, públicos e privados. Consultorias a empresas e estabelecimentos manipuladores e produtores de alimentos também representam uma área de atuação de destaque. O Microbiologista de Alimentos pode atuar ainda no desenvolvimento e suporte técnico à comercialização de testes diagnósticos para detecção e quantificação de micro-organismos a partir de amostras de alimentos, água e ambientes de processamento. Outra possível área de atuação é o comércio internacional de alimentos, que exige profissionais com habilidades técnicas e de comunicação para garantir transações justas, balizadas por parâmetros científicos e não meramente por interesses econômicos e restrições alfandegárias.

Na área de Alimentos, o periódico Brazilian Journal of Microbiology, da Sociedade Brasileira de Microbiologia busca publicar artigos que contribuam com informações inéditas sobre patógenos emergentes e re-emergentes de interesse para a saúde pública e indústria, incluindo bactérias, fungos e vírus: novos métodos de detecção, identificação, epidemiologia e controle, entre outros. Também são bem-vindos trabalhos sobre a determinação de micro-organismos comensais e de interesse tecnológico, com técnicas modernas e confiáveis para esclarecer e aprofundar o entendimento da ecologia microbiana em alimentos e suas interrelações com a saúde, doença e tecnologia de alimentos.

Coordenadores

Leia Mais

Formação complementar pode ser adquirida em estágios e cursos com diferentes cargas horárias, oferecidos por instituições públicas e privadas, regularmente ou durante eventos científicos nacionais e internacionais. Destaca-se o curso de especialização oferecido pela Sociedade Brasileira de Microbiologia (http://www.sbmicrobiologia.org.br/PDF/alimentos.pdf). Também pode-se cursar a pós-graduação stricto senso, em programas recomendados pela CAPES/MEC em nosso país, ou buscar instituições no exterior.

Os profissionais da área podem atuar no ensino em vários níveis (técnico, graduação e pós-graduação), em laboratórios de saúde pública e particulares, indústrias, órgãos regulatórios governamentais e em institutos de pesquisa e prestação de serviços, públicos e privados. Consultorias a empresas e estabelecimentos manipuladores e produtores de alimentos também representam uma área de atuação de destaque. O Microbiologista de Alimentos pode atuar ainda no desenvolvimento e suporte técnico à comercialização de testes diagnósticos para detecção e quantificação de micro-organismos a partir de amostras de alimentos, água e ambientes de processamento. Outra possível área de atuação é o comércio internacional de alimentos, que exige profissionais com habilidades técnicas e de comunicação para garantir transações justas, balizadas por parâmetros científicos e não meramente por interesses econômicos e restrições alfandegárias.

Na área de Alimentos, o periódico Brazilian Journal of Microbiology, da Sociedade Brasileira de Microbiologia busca publicar artigos que contribuam com informações inéditas sobre patógenos emergentes e re-emergentes de interesse para a saúde pública e indústria, incluindo bactérias, fungos e vírus: novos métodos de detecção, identificação, epidemiologia e controle, entre outros. Também são bem-vindos trabalhos sobre a determinação de micro-organismos comensais e de interesse tecnológico, com técnicas modernas e confiáveis para esclarecer e aprofundar o entendimento da ecologia microbiana em alimentos e suas interrelações com a saúde, doença e tecnologia de alimentos.

Notícias

Destaques

Últimas